quinta-feira, 6 de novembro de 2008

A lenda do feiticeiro


Diz a lenda que há muitos anos, no início da colonização, habitou à serra um índio solitário. Um xamã(curador), de uma tribo descendente dos Tapuias que existia na região. Com o avanço da colonização portuguesa pelo interior do Rio Grande do Norte, as tribos iam sendo dizimadas. Os que conseguiam escapar do massacre dos europeus, se escondiam nas serras e encostas protegidas por matas fechadas e de difícil acesso.

Para não ser morto, o velho índio se escondeu na cordilheira serrana que se estendia pela região central do Estado. Desde então a misteriosa serra passou a ser o refúgio daquele xamã solitário.Lá, ele conviveu pacificamente com os colonos da região.
Profundo conhecedor das plantas nativas e da "medicina" indígena, o velho índio era um alquimista. Com suas porções, incensos e rituais, ele curava os animais dos rebanhos que pertenciam aos criadores da região. Sempre que cada vaca, boi , cabra e cavalo caia doente, o índio aparecia para conceber a cura.

Ainda de acordo com essa lenda, além dos animais, o velho índio da serra passou também a curar as pessoas. Fato que o notabilizou como o Feiticeiro da serra. Daí o nome; Serra do Feiticeiro.

Um comentário:

Rômulo H. P. Angélico disse...

Muito interessante a história do Tapuy'ya "feiticeiro". Talvez no meu blog alguma coisa também te interesse.

www.profangelico.blogspot.com

Abraços!